18 julho, 2016

WorkshopIlustracao
Olás a todos! Como foram de final de semana? 🙂

Como alguns de vocês já sabem, eu dou aulas por aí.
Muitas aulas!
Em variedade e em localização, inclusive ONLINE! (ao vivo, ou não)

Vou falar aos poucos aqui no blog, sobre todos os cursos e workshops que dou. E aproveitando a deixa da data, vou falar do Workshop de ilustração, que darei no último sábado de julho, dia 30, pela Zupi Academy.

Já tem uns belos anos que tenho ministrado esses workshops pela Zupi. Desde que me chamaram a primeira vez, foi uma parceria que rolou super bem, e por ter um valor bacana e uma grande divulgação por ser uma marca conhecida, dá oportunidade para que muitas pessoas conheçam meu trabalho e façam essas aulas comigo.

Até então, eu dava somente os workshops de aquarela, mas a coisa rolou tão bem, que esse ano me chamaram pra montar o de “Flores em Aquarela” e o de “Ilustração“, que é o que vou falar um pouquinho agora.

Ilustracao001Ilustrações em aquarela, para portfólio infantil.
O zumbi, à direita, foi para o chá de bebê do meu filho <3

Eu já dei curso de Pintura e Ilustração lá na Sala Ilustrada, mas isso já tem um tempinho, foi antes do Cauã nascer. Na verdade, foi o primeiro curso regular longo que dei na vida, e por isso, foi muito especial. Também foi o ano que engravidei (2013) e nas minhas últimas aulas, eu mal conseguia andar, de tão enorme estava meu barrigão. hahahahahaha.
Foi uma loucura dar aula com o sono e a fome absurda que eu sentia, mas isso já é caso pra outro post 😉

Já tinha tempo que eu queria voltar a dar aula de ilustração, não pra sair da aquarela, mas para ensinar coisas diferentes, e por conta disso, eu mesma tenho que estudar coisas diferentes quando monto os exercícios, e essa, pra mim, é a melhor parte do processo.

Ilustracao002Ilustrações em aquarela, para portfólio infantil.

Ilustracao003
Ilustrações em aquarela. Essas duas foram encomendas de amigos
e estão bem lindas na parede da casa deles <3

Nesse workshop específico, vou mostrar como é meu processo de trabalho, desde a criação, até a montagem de uma ilustração, com um detalhe bem importante para mim: SEM USAR COMPUTADOR!

Yeps!! Isso mesmo que vocês leram. Faremos uma ilustração do começo ao fim, incluindo estudos e correções sem usar computador!

Não porque eu seja contra computador, nada disso, muito pelo contrário, eu adoro e não viveria sem. E para a fase final, que é escanear, tratar a imagem e enviar para o cliente, não tem como fugir do computador.
Minha escolha foi por um simples, mas muito importante detalhe. Onde eu morava na época, VIVIA ACABANDO A ENERGIA!
Eu ficava LOUCA com isso, o que acabava atrasando meu trabalho e nem era culpa minha.

Então desenvolvi, para minha própria salvação, uma maneira de trabalhar sem depender tanto do computador, e hoje, com prática, é como eu trabalho, e eu adoro, pois gosto muito de poder fazer todo esse processo manualmente, ter uma peça única, ter os estudos, os rafes, todos os rabiscos aqui comigo.

O workshop terá bastante produção.
Aliás, quem fizer, não vai parar de desenhar do começo ao fim, pode aquecer as mãos e o material, porque vamos desenhar muito! E quem estiver animado, ainda vamos pintar! Com nanquim, guache, aquarela, lápis-de-cor… o que vocês quiserem.
Eu vou orientar todo o processo e dar dicas importantes para que vocês consigam desenvolver isso tudo em casa, com tempo para mergulhar no que vocês aprenderem comigo.

Ilustracao004Ilustração em aquarela, feita para o header
da sessão Receitas, do site “Depois dos Quinze

 

Então, é isso!!
Espalhem para os amiguinhos, quem estiver afim de trabalhar com ilustração para livros, revistas, internet, ou somente aprender como funciona o processo para fazer seus trabalhos pessoais, porque gosta.

Pra quem se interessou, pode ver mais informações e se inscrever aqui nesse botão bonitinho.

BotaoInscreva
Esse workshop é para todos, que, como eu, não conseguem viver sem desenhar e pintar!

Espero vocês lá!
Bjsssssssssss



15 julho, 2016

Olás, minha gente linda. Tudo bem?

Vou fazer aqui hoje um “bem bolado” do que andei postando por aí essa semana.

Tô numa vibe “Food Illustration” total, se pudesse, faria doces, bolos e panquecas o dia todo. Sério. Desenhar comida é uma DELÍCIA (tu-dun-tssssss).
Se tiverem alguma sugestão de algo que quiserem que eu ilustre ou de algo que queiram ver por aqui, é só postar aqui em baixo, ok?

E muito obrigada por todos os comentários de vocês, fiquei muito feliz com o feedback.

Espero que gostem
E um ótimo final de semana para vocês.

Bjssssssssss

PanquecaPanquecas
Zoopress Sketchbook com Papel Montval 180g, Grana Fina

AzeiteMenorAzeite
Zoopress Sketchbook com Papel Montval 180g, Grana Fina

CherryCakeCherry Cake
Zoopress Sketchbook com Papel Montval 180g, Grana Fina

blueberryCakeBlueberry Cake
Papel Moulin du Roy, 300g – Satinado (Papelaria Universitária)

 

GarotaEstudoluzMenorEstudo de luz baseado em uma pintura do artista Marcos Beccari
Papel Arches 180g, grana fina



11 julho, 2016

TAGMeetTheArtist

Oi, gente. Tudo bem?

Vou falar uma coisa pra vocês, como é difícil essa coisa de pensar o que vou postar por aqui.
Tem várias coisas que quero falar, e como o blog é novo, fico querendo fazer tudo de uma vez, aí eu tenh que parar e respirar, afinal, não é assim que a banda toca.

Estava conversando com duas alunas minhas do meu “Curso de Aquarela Online” (que falarei mais em outro post), A Lidiane Dutra e a Isabella Pessoa, e a Lidy me deu uma idéia bem bacana, que é a TAG “Meet the Artist”.
Como o blog é novinho e muita gente não me conhece, também é bacana porque vocês podem saber um pouquinho mais sobre mim 😉

Eu já tinha feito essa TAG pelo Instagram, e quando ela sugeriu fazer por aqui, já corri atrás da ilustração que eu havia feito no meu moleskine na época. Acho que foi ano passado, mas tenho tantos sketchbooks e desenho tanto neles e nunca na sequência, que fica praticamente impossível saber de quando exatamente, a não ser que eu corra atrás da postagem.
NOTA MENTAL: Preciso URGENTE começar a colocar data nos meus estudos

Então, vamos lá.
Peguei as perguntas no blog da Lidy 😉

TAGMeetTheArtist01

MEET THE ARTIST

 1. Qual sua formação?
Já começa com algo difícil, né? Senão, qual a graça.
Eu fiz 2 anos da faculdade de Publicidade e Propaganda, mas algumas coisas aconteceram no meio do caminho (pessoas, acontecimentos, péssimos relacionamentos, mudança de classe e professor que estragou mais ainda) aí todas essas coisas me fizeram pular fora.
Quando entrei na faculdade, eu achei que era algo mais focado em produção, pois na época, era um curso relativamente novo. Sério! Na minha época, a moda era prestar medicina. TODO MUNDO queria medicina, aí o curso de Propaganda nem era tão concorrido assim.
Mas foi sorte todas essas coisas acontecerem e me fazerem pular fora, pois foi quando comecei a trabalhar com ilustração pra valer que me apaixonei de vez, e aí comecei a correr atrás de estudar a fundo, fazer vários cursos e por aí está até hoje.

 2. Qual seu artista preferido?
Essa pergunta é IMPOSSÍVEL!! Sério. Eu devo ter pelo menos 1 Tera de imagens salvas de artistas favoritos, hahahaha.
Mas ok, já que tem que responder, aqui vão alguns que estão sempre no meu top alguma coisa, mas não quer dizer que estejam nessa ordem.
– James Jean
– Egon Schiele
– Van Gogh
– Alphonse Mucha
– John Singer Sargent
– Norman Rockwell
– Audrey Kawasaki
– Brittney Lee
– Edmund Dulac
– Rebecca Dautremer
E por aí vai e vai…

3. Quais suas principais influências?
Amo desenhar mulheres, temas femininos no geral, natureza, flores em particular, fazem parte constante do meu trabalho, pois sempre fui apaixonada por flores, já quis estudar biologia e já morei em sítio (sou doida pra voltar a morar no meio do mato).

4. Qual seu material artístico preferido e porquê?
Aquarela.
No início foi pela praticidade, pois eu adoro poder sair com uma bolsa onde caiba meu material para desenhar e pintar.
Mas com o tempo, fui me apaixonando mais e mais, e hoje em dia sou a louca das aquarelas e não consigo passar um dia sem pintar.
Uma das coisas que mais me faz amar aquarela, é justamente ela não ter muito “controle” (porque tem, mas dá para não ter).
Você dá o caminho com a água e tem que confiar na mancha que ela vai formar. Eu acho isso lindo e poético. É um exercício de desapego e confiança, e pra mim, que sou meio control freak, essas coisas foram fundamentais para eu aprender a me soltar.

Materiais001

5. O que faz para superar um bloqueio artístico?
Saio de casa.
Não tem nada que me faz paralisar quando tenho um bloqueio desses e fico dentro de casa,
Tenho que ir para um parque ou café, ver gente, andar, fazer qualquer coisa que não seja ficar enfurnada no meu estúdio.

Aí vou acompanhada do meu sketchbook e meu kit de rua (estojinho de aquarela, umas canetas e pincéis) e começo a pintar sem pensar muito. Geralmente aproveito pra pintar o ambiente. Esse tipo de coisa mais despretensiosa faz eu me soltar pra conseguir voltar a fazer o que eu preciso.

6. Algo que você não desenha muito bem e algo que desenha bem?Desenho bem mulheres e flores. Não desenho bem, homens e pés ^___^

7. Como sua família reagiu a sua decisão?

Não teve essa de reação, porque foi um processo natural.
Na minha família tem artistas, meu avô era pintor, minha mãe, arquiteta e artesã, então na verdade, surpresa seria se eu optasse por fazer outra coisa.

8. Um ponto positivo e um ponto negativo de ser artista?

Isso é uma coisa que dá pra fazer um looooongo texto sobre, mas vou me ater ao básico.
Ponto positivo: Poder fazer meu horário e trabalhar com o que eu gosto.
Ponto negativo: Como sou freelancer, o lance de nunca saber se vou receber ou não por um trabalho é muito estressante. E também têm a constante de estar SEMPRE correndo atrás de trabalho. Não dá pra parar, pois todo dia surgem zilhares de “ilustradores” invadindo o mercado de trabalho. Não necessariamente com qualidade, mas infelizmente, com preços muito baixos, o que gera uma concorrência pesada e cansativa, onde tenho que impor a qualidade do meu trabalho sobre o preço dos outros.

9. Um sonho?
Serve dois? Viajar e estudar.
10. Uma mensagem para os outros artistas?
Estude sempre, já é básico. Tem que treinar sempre, pois a evolução depende disso, então, acho que seria “viva mais”!
Aproveite a vida, os momentos, os detalhes, para ter assuntos sobre o que desenhar e pintar.
Para que você não precise ficar somente desenhando o que encontra na Internet. Vá pra rua, vá pintar em um café. Desenhe as pessoas à sua volta.
Ter suas próprias referências e experiências para colocar no papel, ajuda a abrir os olhos para coisas que em uma foto ou na tela, você não veria, pois a sensação do momento enriquece o trabalho do artista.